O défice de participação da sociedade civil portuguesa é o primeiro responsável pelo "estado da nação". A política, economia e cultura oficiais são essencialmente caracterizadas pelos estigmas de uma classe restrita e pouco representativa das reais motivações, interesses e carências da sociedade real, e assim continuarão enquanto a sociedade civil, por omissão, o permitir. Este "sítio" pretendendo estimular a participação da sociedade civil, embora restrito no tema "Armação de Pêra", tem uma abrangência e vocação nacionais, pelo que constitui, pela sua própria natureza, uma visita aos males gerais que determinaram e determinam o nosso destino comum.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Apresentação pública do Plano Geral de Drenagem Pluvial de Armação de Pera


O Professor Saldanha Matos irá apresentar publicamente o Plano Geral de Drenagem Pluvial de Armação de Pêra no próximo dia 10 de fevereiro, pelas 18h00.

A sessão, que contempla, igualmente, a audição da população, irá realizar-se na sede do Clube de Futebol “Os Armacenenses”.

O objectivo central do plano é a redução das inundações que ciclicamente afectam a parte antiga da Vila, soluções essas que irão passar pelo reforço das infraestruturas existentes, aumento da capacidade de reserva, desvio de caudais da zona baixa, instalação de válvulas de marés e elevação de caudais. Será, também, contemplado neste processo a reconstrução do canal de descarga das águas pluviais para a Ribeira de Alcantarilha e instalação de um sistema de bombagem.

7 comentários:

Anónimo disse...

Mais planos?
Queremos é obras!
Armação continua esquecida!

Anónimo disse...

O unico momento em que armação não ficou esquecida foi o do kamov mata mosquitos e o do saque dos piratas da pseudo associação sem fins lucrativos! Finalmente, alguém que se preocupa em resolver a sério com o problema das cheias e inundações da baixa da nossa vila! Para festas e festarolas está cá a junta!

Mariana disse...

Antes da sessão pública de sexta-feira tinha esperança que o problema que afecta quem vive na Rua do Alentejo fosse resolvido a curto prazo, 40 anos de sofrimento é muito tempo.
Mas afinal os estudos que apresentaram é coisa ligeira, não serve para fazer obras, para isso é necessário mais outros projectos.
No próximo inverno vamos continuar na mesma.
Mais do mesmo.

Catarina disse...

Eu estive na sessão pública e fiquei bem impressionada com os esclarecimentos dos projectistas e convicta que o problema vai finalmente ser resolvido, pois que são professores do Técnico que estão envolvidos e que já solucionaram as cheias da baixa de Lisboa, assim como estão a fazê-lo para Albufeira!!! É pena que ninguém antes se tenha preocupado com o nosso problema como agora, pois que certamente que a este hora já estaria resolvido! A Mariana pelos vistos não percebeu nada do que por lá se falou... acontece quando passamos o tempo agarrados ao facebook no telemóvel ;)

Marta disse...

Cristina as explicações dos engenheiros foram claras, o que não ficou explicado pela sr.a presidente da câmara porque é que só se lembrou deste tema mesmo em cima das eleições.
Fazer promessas em vésperas de eleições é fácil, o orçamento da câmara não tem dinheiro previsto para a realização das obras então explique como é que o problema vai ser resolvido?
Olhe o Face não faz mal!

Catarina disse...

Olhe Marta, para mim o importante é que as obras sejam feitas, em ano de eleições ou não. Pelo seu comentário, fiquei com a sensação que você não quer o problema resolvido, muito menos em ano de eleições, vá se lá saber porquê?!?! Aproveito também para lhe dizer que este assunto não veio agora à baila, porque já tinha ido a uma reunião do orçamento participativo, onde a Sr.ª Presidente da Câmara falou que tinha sido contratado o Eng. Saldanha Matos, grande referência nacional nestas matérias, para fazer um estudo e projecto técnico de resolução das cheias. E na sexta-feira passada provou que não foram palavras para o ar. Acredito que os honorários daquele Professor do Técnico não sejam baratos, logo, se o contrataram, é para solucionar o problema de vez. A execução da empreitada são peanuts, fique descansada que o dinheiro na altura certa aparece no orçamento da câmara! Mas olhe que percebo as suas preocupações. Outros que estiveram na Câmara vários mandatos seguidos, com dinheiro para resolver este problema das cheias, nada fizeram... e bem me recordo da Dr.ª Isabel Soares e do Professor Rogério em 2009, na sede dos Armacenenses, em vesperas de eleições, a dizer que o Complexo Desportivo Municipal de Armação de Pêra ia ser uma realidade... chegaram as eleições de 2013 e nada feito!!! Foi preciso esta nova Presidente para termos, pelo menos, um campo da bola com relvado sintético, senão nem isso tinhamos!

Bruno disse...

Catarina, não perca o seu precioso tempo com comentários de pessoas ressabiadas que nada fazem por armação, a não ser falar mal de tudo e todos!

Armação de Pêra em Revista

Visite as Grutas

Visite as Grutas
Património Natural

Algarve