O défice de participação da sociedade civil portuguesa é o primeiro responsável pelo "estado da nação". A política, economia e cultura oficiais são essencialmente caracterizadas pelos estigmas de uma classe restrita e pouco representativa das reais motivações, interesses e carências da sociedade real, e assim continuarão enquanto a sociedade civil, por omissão, o permitir. Este "sítio" pretendendo estimular a participação da sociedade civil, embora restrito no tema "Armação de Pêra", tem uma abrangência e vocação nacionais, pelo que constitui, pela sua própria natureza, uma visita aos males gerais que determinaram e determinam o nosso destino comum.

segunda-feira, 30 de maio de 2016

domingo, 29 de maio de 2016

Morreu Vicente da Câmara, um amigo de Armação de Pêra que a prestigiou com a fidelidade duma opção sistemática para gozo das suas férias de verão


Faleceu ontem um amigo de Armação de Pêra,desbotando-se um pouco mais, com este desaparecimento, uma memória viva de um certo período da história de Armação de Pêra - o periodo pioneiro da Armação de Pêra do turismo e da modernidade -.

Veraneante persistente e decano da época balnear, não resistia aos convites, renovados anualmente, de actuar no Casino, para deleite do público estival e local.

Amante e pioneiro da pesca submarina em Armação de Pêra, quase diariamente, durante o periodo estival, demonstrava o resultado da sua mestria na arte de pescar à sua basta prole e a todos os que frequentavam a praia frente à antiga estalagem Algar.



"O fadista Vicente da Câmara morreu este sábado de manhã, em Lisboa, disse à Lusa o filho, José da Câmara.
Vicente da Câmara, sobrinho da fadista Maria Teresa de Noronha, tornou-se conhecido, entre outros êxitos, pelo fado “Moda das tranças pretas”.
O velório do fadista realiza-se este sábado a partir das 16:00, na Igreja da Graça, onde será celebrada missa, disse a mesma fonte.
O funeral sai no domingo às 15:30 da Igreja da Graça em direção ao cemitério dos Prazeres, em Lisboa.
Entre outros prémios, Vicente da Câmara foi distinguido com o prémio “Amália Carreira” e tinha um percurso artístico com mais de 60 anos, que iniciou na extinta Emissora Nacional.

Em 1948, incentivado pela tia, concorreu a um concurso da então Emissora Nacional. A vitória no concurso radiofónico, que no ano anterior tinha sido conquistada por Júlia Barroso, deu-lhe o passaporte para atuar aos microfones da rádio oficial em programas de grande popularidade, como "Serão para trabalhadores".

O fado "A moda das tranças pretas" que o celebrizou foi composto na década de 1950, quando assinou o primeiro contrato discográfico para a Valentim de Carvalho. Gravou, em 78 rpm, temas como "Fado das Caldas", "Uma oração", "Varina" (de sua autoria) ou "Os teus olhos", com uma letra sua.

Do seu repertório constam ainda temas como "Sino", de sua autoria, "As cordas de uma guitarra" ou "Outono", com letra de seu pai, "Triste mar", "Maldição" e "Menina de uma só trança".

O seu percurso inclui outros fados como "Fado Lopes", "Era mais que simpatia", "Milagre de St.º António", "Fado do Pão-de-Ló", ou "Fado do João", "Guitarra soluçante", "O fado antigo é meu amigo" e "Há saudades toda a vida".
Em 1964 estreou-se no cinema, em "A última pega", de Constantino Esteves, protagonizado por Fernando Farinha, no apogeu da carreira, e contracenando com Leónia Mendes, Júlia Buisel e José Ganhão.

Voltou ao cinema em 2007, sob a direção de Carlos Saura, em "Fados", e ao lado de Carminho, Ricardo Ribeiro, Mariza, Camané e Carlos do Carmo, entre outros.

O fadista, um dos fundadores da Associação Portuguesa dos Amigos do Fado (APAF), integrou o elenco do espetáculo de inauguração do Museu do Fado, em 1998. Atuou na Alemanha, Luxemburgo, França, Espanha, Países Baixos, Canadá, África do Sul, Macau, Hong Kong, Coreia do Sul, Malásia, Brasil, Moçambique e Angola.

Em 1993, gravou com José da Câmara e Nuno da Câmara Pereira o CD "Tradição" (EMI/VC), em homenagem à tia Maria Teresa de Noronha.
"O rio que nos viu nascer" (2006) é o mais recente álbum de Vicente da Câmara.
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, destacou este sábado, em Lisboa, que o fado de Vicente da Câmara, falecido aos 88 anos, "ficará na nossa memória pela sua nobreza e fidelidade".

Na página da Presidência da República na Internet foi colocada uma mensagem de condolências à família do fadista, falecido na manhã de hoje em Lisboa.

Poucos intérpretes souberam conjugar tão bem as raízes populares e o cunho aristocrático do fado", salienta Marcelo Rebelo de Sousa, recordando que Vicente da Câmara era sobrinho da fadista Maria Teresa de Noronha, primo e pai de fadistas.

"O seu fado, castiço, bem timbrado, ficará na nossa memória pela sua nobreza e fidelidade", destaca o Presidente da República, na mensagem.
O funeral do fadista sai da Igreja da Graça, no domingo, às 15:30, em direção ao cemitério dos Prazeres, em Lisboa."
In: “TVI 24” de 29.05.2016

quinta-feira, 26 de maio de 2016

segunda-feira, 23 de maio de 2016

domingo, 22 de maio de 2016

Para certos Finlândeses de moral abjecta:"Toma lá que já almoçaste!"


No Expresso de sábado, soubemos que as coisa não vão bem para os lados da Finlândia. Naturalmente que sem qualquer prazer na constatação do facto, não podemos deixar de concluir aquilo que muitos proclamam a bandeiras despregadas e muitos mais à boca pequena: A austeridade, não constitui solução para esta crise!

O mesmo não poderemos dizer acerca da conclusão inequívoca que tal resultado, obtido em laboratório nórdico de inquestionável seriedade e rigor científicos, constitui como demonstração, também ela inequívoca da desonestidade intelectual de um conjunto de instituições e personagens que, com inusitada arrogância, se têm colocado no alto de pedestais de uma moralidade mais que duvidosa. Para eles, para a sua ignorância e sobretudo para as suas motivações mais profundas, o nosso sorriso que sublinha um :"toma lá que já almoçaste!"

"Finlândia: Cá se fazem cá se pagam

Lembram-se de Timo Soini, o líder de Os Verdadeiros Finlandeses, que queria expulsar a Grécia do euro e proibir que o seu país estivesse envolvido na ajuda internacional a Portugal? Pois passados sete anos eis a Finlândia, considerado o melhor país do mundo pela “Newsweek”, está a viver a maior crise desde há 30 anos.

Apesar de ter feito todas as reformas estruturais preconizadas pelo FMI, OCDE e Comissão Europeia, desde há três anos que a economia declina e regista o mais baixo crescimento europeu, que ainda será metade do grego em 2017. Por isso, Timo Soini defende agora que seja feito um referendo sobre a participação da Finlândia no euro, que culpa pela implosão da Nokia e pelas dificuldades da indústria de papel. E o Governo faz cortes nas despesas públicas, especialmente na saúde, eliminação de dois feriados e outros remédios conhecidos. A Finlândia fica no sul da Europa?

Nicolau Santos, in “Expresso”, 21 de Maio de 2016"

sábado, 21 de maio de 2016

quinta-feira, 19 de maio de 2016

segunda-feira, 16 de maio de 2016

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Vá visitar os seus impostos

Como é que uma agência de viagens da Alemanha promove Portugal.

Traduzindo "Besuchen sie duch ihre stevern!" quer dizer Vá visitar os seus impostos


Faz cá falta o Major Alvega!

segunda-feira, 9 de maio de 2016

domingo, 8 de maio de 2016

sábado, 7 de maio de 2016

sexta-feira, 6 de maio de 2016

quinta-feira, 5 de maio de 2016

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Armação de Pêra em Revista

Visite as Grutas

Visite as Grutas
Património Natural

Algarve