O défice de participação da sociedade civil portuguesa é o primeiro responsável pelo "estado da nação". A política, economia e cultura oficiais são essencialmente caracterizadas pelos estigmas de uma classe restrita e pouco representativa das reais motivações, interesses e carências da sociedade real, e assim continuarão enquanto a sociedade civil, por omissão, o permitir. Este "sítio" pretendendo estimular a participação da sociedade civil, embora restrito no tema "Armação de Pêra", tem uma abrangência e vocação nacionais, pelo que constitui, pela sua própria natureza, uma visita aos males gerais que determinaram e determinam o nosso destino comum.

sábado, 31 de maio de 2014

Armação de Pera: LENDAS TRADICIONAIS DO ALGARVE

Dia 8 de Junho pelas 18:00 horas a encantadora TIXA (Patrícia Amaral) vai estar em Armação de Pera na Fortaleza com as 'LENDAS TRADICIONAIS DO ALGARVE'

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Sai um Banco Público Para o Cidadão Pagar...

Pagámos muito para salvar os bancos, continuamos a salvar banqueiros

No início do seu trajecto como candidato a líder do PSD, Pedro Passos Coelho apareceu com uma proposta fulminante – o homem que queria fazer o Estado desaparecer das nossas vidas, desejava naturalmente, privatizar a Caixa Geral de Depósitos. Perante o clamor nacional,Passos mudou de ideias. Afinal, "a Caixa era a Caixa" e nunca lhe tinha passado pela cabeça a relação especial que os portugueses mantinham com "a Caixa".

Agora, o governo decidiu criar um segundo banco público. Desta vez, é um Banco de Fomento que vai ajudar a conceder crédito às empresas. A ideia até tem o apoio do PS que a defendeu antes do governo. Alguns economistas – como o insuspeito Mira Amaral – defendem que o que este banco vai fazer podia perfeitamente ser feito pela Caixa Geral de
Depósitos, um organismo que faz de público em determinadas ocasiões e de "banco comercial" em outras.

Mas lá se avançou para a comissão instaladora do Banco de Fomento, que irá revolucionar a economia portuguesa (como se alguma coisa,infelizmente, conseguisse fazer isso perante as obtusas regras europeias a que estamos obrigados). Acontece que os vencimentos anunciados para os membros da comissão instaladora do banco público revelam mais uma vez ao mundo que as "gorduras do Estado" que o governo jurou combater eram a arraia-miúda, os reformados e os funcionários públicos. As "gorduras" do Estado eram os serviços públicos e os pensionistas com reformas acima dos 600 euros. Não há dinheiro para nada, mas há dinheiro para pagar quase um milhão de euros a três criaturas que vão "instalar" o segundo banco público do país. Maria Antonieta também pensava assim.

O argumento de que se tem de pagar muito bem porque se tem de ir buscar "os melhores" é iníquo no meio da devastação social a que o país está sujeito. E quem são os melhores? E onde está a lei que tinha travado salários no Estado superiores aos do Presidente da República?

E se é suposto que um primeiro-ministro seja "um dos melhores" porque lhe é imposto um rendimento tão baixo em comparação com o banqueiro?

Até aqui, pagámos muito (com uma crise e desemprego elevado) para salvar os bancos. Continuamos a salvar banqueiros.
Os cortes que vêm aí não vão incidir sobre o salário destes novos banqueiros públicos – vão voltar aos do costume, aos ricos que têm rendimentos de 1000 euros brutos. Anda-se a brincar com o fogo.

Ana Sá Lopes, no “i”

terça-feira, 27 de maio de 2014

Semana Cultural da Casa do Povo de Alcantarilha, Pêra e Armação de Pêra

A Casa do Povo de Alcantarilha, Pêra e Armação de Pêra promove mais mais uma Semana Cultural de 1 a 9 de Junho de 2014.
  • Atuação da Banda Filarmónica pelas três freguesias;
  • Apresentação do Grupo de Dança Jazz infantil
  • Apresentação do Grupo da Escola de Viola
  • Atuação do Grupo Ponte Pequena, que passados 10 anos inativo renasceu com novos membros dando um novo encanto às musicas populares portuguesas;
  • Atuação do Grupo SOS de Porches
  • Atuação do Grupo Coral Vozes do Arade
  • Sessão de Leitura
  • Teatro pelo Grupo de Teatro 'Revolução Grisalha'
e muito mais.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Armação de Pêra: Comemora o dia mundial da criança


No próximo domingo, dia 1 de junho, o Dia Mundial da Criança, será comemorado na vila de Armação de Pera com um programa especial de atividades.

Uma iniciativa promovida por uma série de entidades, como a junta de freguesia, o Agrupamento de Escolas Silves Sul, a Casa do Povo de Alcantarilha, Pêra e Armação de Pêra, os Amigos dos Veículos Clássicos do Barlavento, o Centro de Karaté Shotokan do Algarve, o Armacaneneses e a Associação de Futebol do Algarve, com o apoio da autarquia.

O programa abre com um passeio de cicloturismo denominado «Família sobre Rodas», concentração na Escola EB 2.3 de Armação de Pêra, pelas 8:30 horas, e saída às 9h00, hora em que haverá, a Banda Filarmónica percorrerá as ruas da vila.

As atividades da manhã encerram com uma concentração de carros clássicos na zona da lota, entre as 10:00 e as 13:00, e com o estágio de praia de karaté, das 10h00 às 12h30 na praia, em frente ao Hotel Holliday Inn.

A parte da tarde abre com o Encontro de Futebol «Petizes e Traquinas», no Estádio Municipal de Armação de Pêra, a partir das 14:00.

Já na zona do antigo minigolfe, haverá lugar para o circo da pequenada, das 15:00 às 16:30, seguido de pinturas faciais e insufláveis (entre os quais o maior insuflável do país com 30 metros x 10 metros x 10 metros) até às 19:00.

domingo, 25 de maio de 2014

Resultado das eleições europeias - Freguesia de Armação de Pera

PS 28,32% 290 votos

PPD/PSD.CDS-PP 26,37% 270 votos

PCP-PEV 12,70% 130 votos

MPT 8,59% 88 votos

B.E.5,18% 53 votos

PCTP/MRPP 3,22% 33 votos

PAN 2,73% 28 votos

PTP 1,17% 12 votos

L 0,98% 10 votos

PND 0,98% 10 votos

PPM 0,68% 7 votos

PNR 0,59% 6 votos

PDA 0,49% 5 votos

PPV 0,29% 3 votos

POUS 0,10% 1 votos

MAS 0,00% 0 votos

EM BRANCO 4,00% 41 votos

NULOS 3,61% 37 votos

sábado, 24 de maio de 2014

E o povo escolheu o ladrão...

Cruzei-me há pouco com um colega na rua e parámos a comentar os recentes acontecimentos. Dizia-me ele que já não acreditava em qualquer solução democrática. Perante essa desilusão, perguntei-lhe porquê e a resposta deixou-me a meditar:

- Porque a primeira consulta democrática de que há memória foi a de Pôncio Pilatos ao povo: - "Quem quereis que vos solte, Cristo ou Barrabás?"

E o povo escolheu o ladrão...

sexta-feira, 23 de maio de 2014

quarta-feira, 21 de maio de 2014

"O momento mais belo da vida" por A. Marinho e Pinto, publicado em 2013-05-27

-->
A única coisa perfeita que existe é a Natureza; a única coisa verdadeiramente harmoniosa é a forma como a Natureza ordenou as coisas e os seres; a única coisa verdadeiramente bela é a Ordem com que a Natureza se rege. Ao contemplar a Natureza, fico sempre deslumbrado, inebriado, e nunca me canso de exaltar a sua beleza, a sua harmonia, a sua perfeição. Por isso respeito religiosamente a Ordem por que se rege o mundo natural.

Não se trata de uma ordem fixada por uma qualquer divindade ou demiurgo, mas sim de uma ordenação que resulta da evolução da matéria ao longo de milhares de milhões de anos. Sim, essa matéria de que é feito tudo o que existe, incluindo os próprios seres humanos. Nessa Ordem tudo está meticulosamente organizado e nada foi deixado ao acaso. No mundo natural faz-se tudo o que é necessário fazer e nada se improvisa. A sua harmonia deve-se afinal a um sentido, a uma estratégia, que preside a esse movimento evolutivo. Na terra, como no universo, a evolução da matéria faz-se sempre no sentido da perfeição (complexidade). A matéria evolui sempre para níveis cada vez mais complexos de organização. A vida, tal como existe neste minúsculo ponto perdido nas imensidões cósmicas, é, desde as primeiras moléculas de aminoácidos até hoje, o resultado dessa evolução, ou melhor, corresponde a uma fase dessa evolução. O ser humano é a expressão mais avançada (complexa) de organização da matéria. O grau mais complexo (perfeito) de organização da matéria que se conhece em todo o Universo está no cérebro humano. Em nenhum outro ponto do cosmos a matéria atingiu - que se saiba - um nível tão perfeito, tão harmonioso, tão complexo de organização como na cabeça do ser humano.

No mundo natural, a evolução dos seres vivos faz-se de acordo com estratégias específicas de sobrevivência, visando a continuação das espécies através da reprodução dos seus espécimes. As regras terríveis da seleção natural existem para, eliminando os espécimes mais fracos, fortalecer cada espécie. Como demonstrou Charles Darwin, a vida é a luta pela vida. A sobrevivência de cada ser vivo, como de cada espécie, impõe métodos que, por vezes, nos impressionavam pela sua aparente crueldade.

O astrofísico Hubert Reeves escreveu, em "Um pouco mais de azul" (livro cujo título homenageia Mário de Sá Carneiro), um texto maravilhoso que cito de memória: uma mulher belíssima está deitada na cama com o corpo nu envolvido parcialmente por lençóis de cetim branco. A janela meio aberta deixa entrar uma brisa ligeira que agita levemente as cortinas. A um canto, um disco esquecido solta os acordes maravilhosos de uma sinfonia de Mozart. Uma luz difusa inunda suavemente todo aquele ambiente de paz e de tranquilidade. O rosto da mulher é a imagem do amor e da felicidade. Porém, dentro dela, no interior do seu corpo, alheios a tudo isso, mais de 200 milhões de seres lutam desesperadamente pela sobrevivência que só um poderá alcançar. Ela acabara de fazer amor.

Como diz Reeves, a vida implica todos os níveis do real e, por isso, é que o momento mais belo na vida de qualquer ser humano é aquele em que ele é retirado todo sujo da vagina ensanguentada de uma mulher ou então arrancado da sua barriga esventrada por uma cesariana e é exibido triunfantemente à mãe que o pariu. E esse momento é belo porque é nesse instante que aquele monstrinho sujo, enrugado, roxo e disforme passa de feto a pessoa, ou seja, adquire personalidade jurídica e torna-se sujeito de direitos e de deveres ou, se quisermos, passa a ser um centro autónomo de imputações. É assim que nasce um ser humano. E esse momento é belo também porque a mulher que berrava de dores passa a rir-se de alegria e beija pela primeira vez esse filho (em outras espécies animais, as mães são ainda mais autênticas pois lambem demoradamente os recém-nascidos). Esse momento é belo, sobretudo, porque é o instante em que as dores da vida se metamorfoseiam na felicidade apoteótica da maternidade e da paternidade.

Eu lembro-me bem desse momento. Nunca esquecerei o momento em que nasci e, sobretudo, nunca esquecerei o primeiro beijo que a minha mãe me deu - quase moribunda por me ter parido.

terça-feira, 20 de maio de 2014

ANDY ROONEY ON SEX!

Andrew Aitken Rooney (popularmente conhecido como Andy Rooney; Albany, Nova York 14 de Janeiro de 1919 - Cidade de Nova York, Nova York, 5 de Novembro de 2011) foi um locutor de rádio e escritor de televisão americano. Ele é mais notável pela sua transmissão semanal "Alguns Minutos com Andy Rooney", uma parte do programa de 60 minutos "Notícias CBS desde 1978".

O sexo é um tema inesgotável, como a humanidade; Vejamos as conclusões atribuidas a este jornalista de enorme notoriedade e longevidade, sobre esta matéria tão reflectida:

1. When I was born, I was given a choice - a big pecker or a good memory.... I  don't remember what I chose.

2. Your birth certificate is an apology letter from the condom factory.

3. A wife is a sex object. Every time you ask for sex, she objects.

4. Impotence: nature's way of saying, "No hard feelings..."

5. There are only two four letter words that are offensive to men - 'don't' and 'stop', unless they are used together.

6. Panties: Not the best thing on earth, but next to the best thing on earth.

7. There are three stages in a man's life: Tri-Weekly, Try Weekly and Try Weakly.

8. Virginity can be cured.

9. Virginity is not dignity, it's lack of opportunity.

10. Having sex is like playing bridge - if you don't have a good partner, you better have a good hand.

11. I tried phone sex once, but the holes in the dial were too small.

12. Marriage is the only war where you get to sleep with the enemy.

13. Question: What's an Australian kiss?
    Answer: The same thing as a French kiss, only down under.

14. A couple just married were happy with the whole thing. He was happy with the Hole and she was happy with the Thing.

15. Question: What are the three biggest tragedies in a man's life?
    Answer: Life sucks, job sucks and the wife doesn't.

16. Question: Why do men find it difficult to make eye contact?
    Answer: Breasts don't have eyes.

17. Despite the old saying, 'Don't take your troubles to bed', many men still sleep with their wives!

Send to the men who need a laugh and the women with a special, unusual  sense of humor.

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Portugal vai mal e nós sabemos!

Por razões que a razão conheçe, este Portugal sabe cada vez mais a requentado!

No anterior post foi feito um comentário, vulgar noutros tempos, caido entretanto, completamente em desuso nas últimas décadas, por manifesta inadequação e desnecessidade, mas que, lido hoje, recupera uma estranha frescura, não no nome próprio do protagonista histórico naturalmente, mas na "azia" que implicitamente descreve face a uma prática politica que, invariavelmente, persiste encrustada nesta Comunidade Nacional.

Como sinal de uma resistência "à boca pequena" a um regime gerador de infelicidade e partindo de um verso de Fernando Pessoa, esta criação literária, provavelmente de cariz mais popular retratou o sentimento generalizado num Povo que, angustiado pela sobrevivência  e por lideranças que nunca interpretaram o poder como instrumento de desenvolvimento partilhado, nunca se conformou com o designio que, com mais ou menos "orgulho oficial", sempre lhe quiseram estipular.

Curiosamente, ou não, denota apropriadamente um mesmo estado de espirito.
Portugal vai mal!

"Antigamente (alguns) diziam assim:

O António há-de morrer!
A Oliveira há-de secar!
O Sal há-de derreter!
E o azar há-de acabar!

Actualmente é caso para todos dizerem:

O António já morreu!
A Oliveira já secou!
O Sal já derreteu!
Mas a merda do azar não acabou!"

domingo, 18 de maio de 2014

sábado, 17 de maio de 2014

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Maxi Tuga, versão grande obreiro...

Apodados de mandriões e muito pouco trabalhadores - apesar de trabalharmos mais horas que qualquer outro europeu - os portugueses não são todos iguais.
Na verdade há pelo menos um português que trabalha sem parar e para quem o dia tem, pelo menos, quarenta e oito horas! Senão vejamos:

Maxi tuga o grande obreiro

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Portugal atual

Pobres em Portugal: 2 milhões de pessoas.
Desempregados: 1.000.000 indivíduos.
População ativa em Portugal: 5.587.300 indivíduos.
População Prisional: 12.681 reclusos.
Emigrantes Portugueses : 31,2 milhões pelo mundo fora.
Crianças portuguesas com fome assinalados nas escolas: 12 mil.
Portugueses com fome: 300.000
Idosos na solidão: 23 mil idosos a viverem sozinhos ou na solidão (Censo da GNR).
Portugueses sem Médico de família: 700 mil pessoas.
Pessoas sem-abrigo: 3.500.
Pessoas sem água canalizada ou esgotos ao domicílio: 700 mil.
Número de Abortos em 2012: 18.924 em 2012, 2.214 abortos em menores de 19 anos, e 70 por raparigas com menos de 15 anos, 52 abortos por dia.90 milhões de euros gastos com os cuidados médicos com os abortos e os subsídios pós-aborto.
Preços Combustíveis ( Gasolina e Gasóleo ): dos mais altos da Europa e do mundo.
Remunerações dos conselhos de Administração das 20 empresas portuguesas cotadas na Bolsa :
ganham, em média, cerca de 50 vezes mais do que os trabalhadores das empresas que administram.
As 100 maiores fortunas de Portugal valem 37 mil milhões de euros, o que corresponde a 23% da riqueza total nacional.
PIB Portugal em 2012: 165 mil milhões de euros (contração de 3,2% em relação a 2011).
25% dos habitantes em Portugal vivem com menos de 414 euros por mês ; são os considerados oficialmente como pobres. Vivem em privação material, (dificuldade, por exemplo, em pagar as rendas sem atraso, manter a casa aquecida ou fazer uma refeição de carne ou de peixe pelo menos de dois em dois dias).
16,5% por cento dos portugueses vivem em casas sobrelotadas.
População portuguesa abaixo do índice de pobreza: 20% - 2 milhões de pobres, sendo que 1/3 são reformados, 22% são trabalhadores remunerados e 21,2% são trabalhadores por conta própria.
6% da população portuguesa (530 mil pessoas) sofre sérias perturbações no acesso a alimentos.
Défice do Estado Português em 2012: 6,4% do PIB, ou seja 10,6 mil milhões de euros.
26% das crianças portuguesas que entram na escola em 2013 :(375 mil) vêm de famílias onde a pobreza é extrema.
Orçamento da Assembleia da República para 2013: 65 milhões e 18.000 euros.
Subsídios aos Partidos Políticos: 64 milhões e 195.000 euros.
Orçamento da Presidência da República Portuguesa para 2013: 16 milhões e 272.000 euros .
O Orçamento da Presidência da República portuguesa continua a ser assim superior em dobro ao da Casa Real espanhola
que, em 2012, dispôs de um total de 8.264 mil euros, implicando uma redução de 2% relativamente ao ano anterior
Dívida Pública Portuguesa: Dívida total (fim de Março de 2013) : 199.676.349.188€ (123,6% do PIB). Em 1974 eram de 10 mil milhões, correspondendo a 20% do PIB, ou seja, em 39 anos a dívida foi multiplicada por 20 vezes mais.
Juros anuais da dívida pública portuguesa: Segundo o INE, os juros da Divida Pública atingiram 6.849 milhões no final de 2012.
Reservas de Ouro do Banco de Portugal: 382.509,58 kg. Em 1974 eram de 865.936, ou seja, em 39 anos desapareceram 483.426,42 kg de ouro o que dá uma média de 13.428,5 kg por ano.
Dívida externa Portuguesa em Fevereiro de 2013: 734,3 mil milhões de euros (cada Português deve € 69.300 ao estrangeiro).
Em 2012, cada cidadão pagou só de juros da dívida pública 754 euros o que, no conjunto, equivale a 4,4 % do PIB.
Beneficiários do Rendimento Social de Inserção: 274.937 pessoas.
Salários dos principais gestores públicos em 2010:
Presidente da CGD (Faria de Oliveira) recebeu € 560.012,80 (igual a 50 anos de salário médio anual de cada português) e o seu Vice-Presidente (Francisco Bandeira) recebeu € 558.891,00, Salário anual do Governador do Banco de Portugal 243 mil Euros, Salário anual do presidente da Anacom 234 mil Euros.
Despesa total do Estado com reformas de ex-políticos e ex-governantes em 2010: 280 milhões de euros, passando a serem secretos, portanto desconhecidos os números reais desde então, por ordem do Governo e da Assembleia da República.
Toxicodependentes: 50 mil toxicodependentes em tratamento.
Criminalidade em 2012: 385.927 crimes, 22.270 crimes violentos e graves, 419 sequestros, 149 homicídios, raptos e roubos.
Portadores de HIV: 41.035.
Prostitutas e pessoas ligadas ao comércio do sexo: mais de 30.000.
Eletricidade 63% mais cara que a média da OCDE. Média da OCDE = 0,12 KVW, Portugal = € 0,17 KVW, Grécia = € 0,10 KVW, Espanha = € 0,14 KVW.
Petróleo Doméstico mais caro da Europa: Tonelada métrica em Portugal : € 386; Média da OCDE : € 333.
Gasolina com carga fiscal mais elevada da Europa, com 64% de impostos.
Gás natural mais caro da Europa : € 713; Média da OCDE : € 580 ; Grécia : € 333.


sexta-feira, 9 de maio de 2014

quinta-feira, 8 de maio de 2014

O Pedro é que abria as portas todas...


Abrir uma porta tem um significado que o povo conheçe bem, desde tempos imemoriais!

terça-feira, 6 de maio de 2014

Armação de Pêra em Revista

Visite as Grutas

Visite as Grutas
Património Natural

Algarve