O défice de participação da sociedade civil portuguesa é o primeiro responsável pelo "estado da nação". A política, economia e cultura oficiais são essencialmente caracterizadas pelos estigmas de uma classe restrita e pouco representativa das reais motivações, interesses e carências da sociedade real, e assim continuarão enquanto a sociedade civil, por omissão, o permitir. Este "sítio" pretendendo estimular a participação da sociedade civil, embora restrito no tema "Armação de Pêra", tem uma abrangência e vocação nacionais, pelo que constitui, pela sua própria natureza, uma visita aos males gerais que determinaram e determinam o nosso destino comum.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Portugal investe 20 milhões para turismo “não passar ao lado”


“Can’t skip Portugal” é o lema da campanha lançada pelo Turismo de Portugal e que, durante dois anos, vai ocupar as redes sociais em 20 mercados considerados prioritários como Reino Unido ou China. Além da visita, os vídeos propõem uma mudança de vida.



O Turismo de Portugal lançou esta terça-feira, 9 de Maio, uma campanha publicitária para conquistar mais turistas internacionais. Para tal, vai investir 20 milhões de euros.

"Can’t skip Portugal" é o lema que motiva os quatro vídeos, todos com sensivelmente três minutos, realizados por Pedro Varela. Numa tradução mais livre, a ideia que se pretende passar é a seguinte: não podes passar ao lado, não podes deixar de visitar Portugal.

O esforço publicitário será concentrado, ao longo dos próximos dois anos, nos canais digitais. "O facto de a campanha privilegiar os meios digitais, nomeadamente as redes sociais, significa também uma grande aposta no envolvimento directo das pessoas", justificou o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo.

A campanha vai chegar a 20 países. Além dos principais mercados já emissores de turistas para Portugal – Reino Unido, Alemanha, França, Espanha ou Brasil – na lista contam-se países onde Portugal tem feito um esforço para se afirmar como destino: Estados Unidos da América, China, Rússia, Canadá, Índia, Noruega, Dinamarca ou Polónia.

"Este filme foi inteiramente rodado em Dezembro, em pleno Inverno", avisam os quatro vídeos logo no início. Valorizando elementos como a luz, o calor, a água, a natureza e o património arquitectónico, Portugal quer assim afirmar-se como uma alternativa para todo o ano.

Um dos objectivos do país para a próxima década é precisamente atenuar a sazonalidade, passando-a de 37,5 para 33,5%. O feito será alcançado através da diversificação da oferta para lá do sol e praia, factor que os vídeos deixam evidenciar. E também territorialmente, já que todas as regiões portuguesas se fazem representar

A campanha lançada no Teatro São Luiz, em Lisboa, não deixa de piscar o olho aos estrangeiros que querem mudar de vida ou estudar em Portugal, fazendo um contraste com as paisagens cinzentas dos países de origem dos protagonistas dos vídeos.

No ano passado, registaram-se 11,4 milhões os hóspedes estrangeiros nos estabelecimentos hoteleiros nacionais. Pela primeira vez, o número superou o total da população portuguesa, 10,5 milhões. Os estrangeiros já representam sete em cada dez dormidas.


Por Wilson Ledo, in: Negócios.

Sem comentários:

Armação de Pêra em Revista

Visite as Grutas

Visite as Grutas
Património Natural

Algarve