O défice de participação da sociedade civil portuguesa é o primeiro responsável pelo "estado da nação". A política, economia e cultura oficiais são essencialmente caracterizadas pelos estigmas de uma classe restrita e pouco representativa das reais motivações, interesses e carências da sociedade real, e assim continuarão enquanto a sociedade civil, por omissão, o permitir. Este "sítio" pretendendo estimular a participação da sociedade civil, embora restrito no tema "Armação de Pêra", tem uma abrangência e vocação nacionais, pelo que constitui, pela sua própria natureza, uma visita aos males gerais que determinaram e determinam o nosso destino comum.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Junta de Freguesia de Armação de Pêra: Um negócio trapalhão

"A perversidade é um dos impulsos primitivos do coração humano."




Sem concurso público o presidente da Junta de Freguesia de Armação de Pêra entregou a exploração dos balneários públicos da lota a concessionário de bar.

A partir de Março a utilização dos balneários públicos passa a ser paga, e em vez dos seis chuveiros que existiam, passam a três porque o concessionário, com a complacência do presidente da junta achou por bem construir uma despensa para uso do bar.

13 comentários:

Anónimo disse...

Não entendo porque dão cobertura a determinadas pessoas que só querem o mal dou outros.
A invejosa queria ficar com o bar para ela mas não quer pagar renda.

Anónimo disse...

São os invejosos do costume, vejam o que aconteceu com a palhaçada da palhota, agora vem isto à baila.
Se esta malta se preocupação destas pessoas fosse o trabalho não punham em causa decisões bem tomadas em favor da nossa vila.

Anónimo disse...

Este é um assunto para os tribunais, este tipo de situação não pode acontecer!

Maria da Luz disse...

Que vergonha!
Não há limites nesta terra,chamar aquele disparate, bar, é muito exagero.
Aquilo é uma ocupação abusiva do espaço público com todos os transtornos consequentes, que são óbvios, a qualquer pessoa de bom senso.
Alguém invejar o descarado que comete semelhantes abusos, assim como, considerar benéfico, permiti-los, é loucura.
Tenham juizo, é caso de tribunal,sem dúvida.

Anónimo disse...

Realmente a inveja é um sentimento que se alimenta de falsidades, ocupando as mentes mais fracas e obsoletas. O que vale é que o cidadão isento e livre de se deixar influenciar, facilmente chega á conclusão que todas estas notícias, são incongruentes e adulteradas. Como é que é possível, achar um negócio ruinoso, o melhoramento das casas de banho públicas de Armação de Pêra junto á lota, sem que seja utilizado um euro de dinheiros públicos.

O embuste continua e ganha contornos cómicos quando se diz que:

1º - “A partir de Março a utilização dos balneários passa a ser paga.”

Completamente falso, continua gratuito como sempre foi.

2º - “Em vez de 6 chuveiros que existiam, passam a 3, porque o concessionário construiu uma dispensa para uso próprio.”

Quem é frequentador assíduo daquela zona, sabe perfeitamente que há mais de 15 anos, que os ditos 6 chuveiros estão desativados, devido á degradação e falta de manutenção da Junta de Freguesia, que nunca teve verba disponível para manter aquele espaço. A verdade é que passam a existir 3 chuveiros em excelentes condições, numa zona onde não funcionava nenhum. O benefício, vai para toda a população em geral, nomeadamente as milhares de pessoas, que frequentam a magnífica praia de Armação de Pêra todos os anos. Certamente, quem utilizar os chuveiros, deverá pagar uma verba simbólica, que reverte a favor do concessionário do referido bar, que por sua vez fica responsável pelo pagamento da água das casas de banho e chuveiros. Provavelmente a verba monetária proveniente do uso dos chuveiros, não chega para pagar a totalidade da água gasta, (casas de banho e duches) dado que os balneários são públicos e gratuitos como sempre foram. O pagamento de uma taxa para a utilização dos duches, evita também o gasto desnecessário de água, situação que sempre aconteceu enquanto existiram chuveiros grátis ao longo da praia.
A construção da referida despensa, visa a melhoria dos recursos de quem trabalha no referido bar. Mesmo assim a “criminosa” dispensa como é tratada, não passa de quatro paredes e dois metros quadrados. Era o mínimo exigível pelo concessionário, dado que pagou a totalidade das obras de um espaço público com futuro incerto, beneficiando todos aqueles que o utilizam diariamente.

Certamente a Junta de Freguesia já fez negócios bem mais ruinosos do que este, durante anos e anos, sem nunca surgir um grito de revolta. Porque será?

Armação de Pêra, teima em continuar travada no tempo, por culpa dos supostos instruídos, alguns deles com responsabilidades políticas, continuarem a usar as suas energias, em prol da falsidade maldade e hipocrisia.

Quem trabalha, é competente, ambicioso e produz postos de trabalho é e sempre será um alvo, infelizmente este é o reflexo da nossa sociedade e do País que temos.

Muito Anónima p´ra ti também disse...

Que bem que cantas...

Não chega, garanto-te.
A falsidade está na tua conversa, o concessionário, como lhe chamas, está há vinte anos a ocupar abusivamente um espaço, que aumenta de acordo com a sua ambição, sem que ninguém o impeça,a usar diáriamente água, que nunca pagou,se vai começar a pagar agora,resta dizer que já não é sem tempo.
Quanto à zona dos duches, sempre serviram de dispensa, se a junta não tinha dinheiro para os arranjar, procurava uma solução que respeitasse a preservação do espaço público e nunca a sua diminuição.
As soluções existem, para quem trabalha com seriedade e competência, e respeito pelos espaços públicos que podem enriquecer a vila.

Já os ambiciosos, que nunca tiveram capacidade para criar nada e que saem da miséria com golpes de esperteza saloia, esses, tem mesmo de acabar entregues à justiça.

Neste país, quem trabalha, é honesto e defende o que é justo, muitas vezes tem de se confrontar com "catraios" que, porque andam encostados a quem está ligado ao poder, pensam que podem tudo.

Como diz o povo, "Não há mal que dure sempre nem bem que nunca acabe."

Também concordo que é um caso de justiça, sem dúvida.

Anónimo disse...

Esse anónimo das 23.05h está bem informado, os pormenores do pagamento das obras[temos de ver essas maraviluosas obras] e os motivos apresentados é que não fazem sentido.

-2 euros é um valor simbólico para poder passar o corpo por água doce?

-Os valores que a junta de freguesia gastou durante 20 anos a pagar a água do "concessionário", também serão um valor simbólico ?

Os duches estavam muito danificados ou dava mais geito ao "concessionário" usar o espaço como dispensa e por esse motivo estavam fechados?

O espaço público em questão está protegido por um regulamento em que estão determinadas as normas a ser cumpridas pelo "concessionário", ao longo dos anos de ocupação.

Porque não tomou (toma) a junta de freguesia medidas em relação aos abusos cometidos ?

O hall de acesso aos balneários está reduzido a metade do espaço devido à "construção" de uma cozinha, porque permitiu a junta de freguesia a redução da área se está proibida no regulamento?

Porque permite a junta de freguesia que depois de reduzido o hall de acesso aos balneários, o "concessionário" continue a usar o espaço como arrecadação e condicione ainda mais o espaço de utilidade pública, depositando no mesmo, barris de cerveja entre outras coisas?

A realidade actual do espaço concessionado, devido a todas as alterações permitidas, não corresponde ao que foi a concurso há 20 anos atrás.

Considera a junta de freguesia justo que toda a área pública esteja reduzida e que estejam a ser sobrepostas as ambições de um particular às necessidades óbvias do bom funcionamento da estrutura pública em questão?

Conta-nos tudo anónimo informado, o mistétio da tua identidade, é bem menor que o mistério desta grande trapalhada.
Resta saber o porque de tantas benesses a este pobre e invejado "concessionário".

Anónimo disse...

Não entendo toda esta polémica, continuam a perseguir e a massacrar alguém que trabalha e tenta manter os sanitários limpos e arranjados ao publico todo o ano á sua custa, mas não vejo ninguém indignado com os sanitários e chuveiros que havia por baixo do restaurante Santola e que simplesmente desapareceram ,mais os sanitários e chuveiros junto ao antigo(João Gato)que também foram desactivados. Será que tudo isto não foi por o concessionário ter tido o azar de enfrentar a DONA da praia e os seus acólitos, sim porque toda a gente ouviu a dita senhora aos berros no meio da rua que a partir desse dia que ele ia ver o que era perseguição.

Anónimo disse...

A mulher do "concessionário"???
Essa gosta de berrar e de ameaçar.

Os restantes duches cabe à junta activar, o afluxo de turistas à vila justifica a requalificação de todas essas infraestruturas.

Anónimo disse...

Tendo eu alguma admiração por este bloog com artigos interessantes e bem escritos admira-me como se deixa manipular com guerras pessoais e vingativas de pessoas com pouca credibilidade, peço que continuem a dar-nos aquilo que nos habituaram e não credito a estas obsessões pessoais.

Anónimo disse...

Doi não doi....

Armação de Pêra tem o que merece!!!

Mijem para o chão !!!
E viva a CORRUPÇÃO E OS JOBS FOR THE BOYS

É tudo normal e tásse bem, não chateiem o homem que o gajo anda armado...

Agora até já anda na net, sim quem senão o próprio a vir para aqui defender-se de algo que não tem defesa, trabalhadores somos todos!!!

Mas espertos são poucos e esse senhor faz parte dos espertos, parabéns para ele, pois tem-se safado....

é POR ESTAS E OUTRAS QUE O pAÍS ESTÁ COMO ESTÁ!!!

CES'T LA VIE

Anónimo disse...

E o aumento da esplanada pela praia a dentro cada vez é maior. E sabe se que está ilegal dita pelo comandante do proto em reuniao de camera , entao pq ainda continua ???????????????

Fiilipe da Costa disse...

Lembro e recordo com saudades os balneários do antigamente, duche água fria grátis, água quente 20 escudos .
Recordo perfeitamente do Sr. Armando que tomava conta dos balneários, era o meu avô !

Armação de Pêra em Revista

Visite as Grutas

Visite as Grutas
Património Natural

Algarve