O défice de participação da sociedade civil portuguesa é o primeiro responsável pelo "estado da nação". A política, economia e cultura oficiais são essencialmente caracterizadas pelos estigmas de uma classe restrita e pouco representativa das reais motivações, interesses e carências da sociedade real, e assim continuarão enquanto a sociedade civil, por omissão, o permitir. Este "sítio" pretendendo estimular a participação da sociedade civil, embora restrito no tema "Armação de Pêra", tem uma abrangência e vocação nacionais, pelo que constitui, pela sua própria natureza, uma visita aos males gerais que determinaram e determinam o nosso destino comum.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Corredor de Pesca: A excepção que confirma a regra?

A tristemente celebre telenovela do Bar da Lota que obstrui o Corredor de Pesca e que agora não só ocupa parte do Balneário, como aparentemente vai passar a explorá-lo, promete continuar a dar que falar...

A dar que falar pela opacidade de métodos e processos em que a Junta e a Câmara são useiras e vezeiras.

Os seus titulares usam os seus poderes como se decidissem sobre propriedade sua, sem a mais pequena noção de que não passam de meros detentores de bens alheios cuja administração lhes foi temporariamente confiada para, dentro dos limites da lei a que se encontram adstritos, agirem no interesse da comunidade que os elege.

Esquecem com uma frequência frenética a elementaridade deste principio estruturante de qualquer democracia.

Esta gente abusa, maltrata a coisa pública, contribui decisiva e aceleradamente para o excesso de despesa, por acção e omissão, e nessa medida tem contribuído para a situação desesperada em que se encontram as contas públicas e, por via disso, o pais.

Impunes...continuam diletante, tranquila e incompetentemente a usurpar os poderes que não têm nos cargos que desempenham com legitimidade formal, mas com absoluto vazio substancial.

Estes pigmeus da classe politica nacional, fazem parte dela em tudo o que de mais negativo caracteriza a mesma, designadamente o extraordinário contributo para o acelerado delapidar do erário público, conseguindo eleger-se graças ao verdadeiro divórcio existente entre os cidadãos e os seus representantes, patente no peso habitual da abstenção, para o qual contribuem mediante a imoralidade da sua prática politica, instilando o alheamento na generalidade dos cidadãos, e ao sistemático pagamento dos favores políticos consubstanciados no voto, através da disposição de bens, direitos, concessões, subvenções e empregos públicos.

Com o conhecimento que temos de todos estes ingredientes e dos seus interpretes dificilmente a telenovela do Corredor de Pesca junto à Lota motivará grande expectativa, uma vez que ninguém espera surpresas.

No entanto quanto às surpresas, tal como quanto às bruxas cuja existência todos negam, há quem garanta que os espectadores podem aguardá-las....

3 comentários:

cabrita disse...

O clientelismo

O clientelismo tem como finalidade principal amarrar politicamente o beneficiado. Os intermediários dos favores, prestados às custas dos cofres públicos, são os chamados clientelistas, despachantes de luxo ou ainda traficantes de influências. O grande objetivo dos intermediários é o voto do beneficiado ou dinheiro, componentes básicos do que identificamos como corrupção. A partir deste ponto de vista, temos que o clientelismo é a porta da corrupção política, sendo o sistema que dá origem à maioria esmagadora das irregularidades políticas e institucionais, assim como proporciona o mal uso da “máquina administrativa”, que passa a ser direcionada apenas a finalidades estritamente perversas, sendo os prejudicados, no final, a grande maioria dos cidadãos que desejam seguir cumprindo com seus deveres.

O combate a tal prática danosa ao progresso de qualquer sociedade dá-se, sem sombra de dúvida por meio de uma maior educação formal e um esclarecimento de todos os cidadãos, para evitarem o predomínio de determinados grupos sobre outros, algo que impede o melhoramento social, político e econômico de qualquer coletividade.
O bar da lota, o casino, o campo das gaivotas, o plano de pormenor da praia grande, são alguns dos muitos exemplos do pagamento de "favores" que grassam pelo concelho de Silves e que corroem a Democracia.

Anónimo disse...

O que interessa esta coisa do corredor de pesca para Armação?
Alguma vez fez falta?
As preocupações das pessoas são o trabalho e arranjar dinheiro no final do mês não são esta invenções, que não levam a lugar nenhum.

Anónimo disse...

Dias 7 e 22 de fevereiro ALGOZ E PÊRA RECEBEM SESSÕES DO CICLO SENIORES EM ALERTA

Realizam-se nos próximos dias 7 e 22 de fevereiro, na Junta de Freguesia do Algoz e na Junta de Freguesia de Pêra, respetivamente, mais duas sessões do Ciclo Seniores em Alerta. Com início pelas 10 horas, estas ações são promovidas pela Câmara Municipal de Silves, através do Sector de Ação Social e do Serviço Municipal de Proteção Civil, e têm como principal objetivo divulgar junto da população idosa do concelho informações úteis a aplicar em caso de emergência.

Em cada sessão são abordadas cinco temáticas principais: 112 (como e quando deve ser utilizado), gás (cuidados a ter no domicílio e sinais de alerta), frio intenso (efeitos e situações a evitar), ondas de calor (efeitos e situações a evitar) e sismos (o que é, o que fazer, o antes e depois e locais seguros).

Relembramos que o ciclo “Seniores em Alerta” tem vindo a ser desenvolvido em várias localidades do concelho, estando prevista a realização de mais três sessões em Silves, Armação de Pêra e Alcantarilha, durante o mês de março.

Para mais informações os interessados poderão entrar em contacto com o Sector de Ação Social da CMS, através dos telefones 282440800 e 282440831 ou do endereço de correio eletrónico sasocial@cm-silves.pt.

Armação de Pêra em Revista

Visite as Grutas

Visite as Grutas
Património Natural

Algarve