O défice de participação da sociedade civil portuguesa é o primeiro responsável pelo "estado da nação". A política, economia e cultura oficiais são essencialmente caracterizadas pelos estigmas de uma classe restrita e pouco representativa das reais motivações, interesses e carências da sociedade real, e assim continuarão enquanto a sociedade civil, por omissão, o permitir. Este "sítio" pretendendo estimular a participação da sociedade civil, embora restrito no tema "Armação de Pêra", tem uma abrangência e vocação nacionais, pelo que constitui, pela sua própria natureza, uma visita aos males gerais que determinaram e determinam o nosso destino comum.

quarta-feira, 8 de março de 2017

VISA GOLD . O ponto da situação


  
O investimento captado através dos Vistos 'Gold' subiu 11,4% em Fevereiro em termos homólogos, para 99,5 milhões de euros, e abrandou 29% face a Janeiro, segundo dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Em Fevereiro, o investimento resultante da Autorização de Residência para a actividade de Investimento (ARI), como também são conhecidos os Vistos 'Gold', totalizou 99.512.868,51 euros, um aumento de 11,4% face a igual mês de 2016 (89.301.186,43 euros), e uma descida de 29% face ao mês anterior (141.250.454,23 euros).

Do total do investimento captado em Fevereiro, a maior parte (87.830.571,81 euros) continua a vir da aquisição de bens imóveis, com a transferência de capital a registar 11.682.296,7 euros.
No mês passado, o número de vistos dourados atribuídos ascendeu a 155, dos quais 143 por via do critério de compra de imóveis, 11 por transferência de capital e um pela criação de, pelo menos, 10 postos de trabalho.

Dos 147 vistos atribuídos mediante o critério de bens imóveis, foram concedidos em Fevereiro mais cinco ARI para reabilitação urbana, no âmbito das novas regras de concessão, em vigor desde Setembro de 2015.

Até final de Fevereiro foram concedidos 17 Vistos 'Gold' para reabilitação urbana, sendo que o primeiro foi atribuído em Julho de 2016.

Nos dois primeiros meses do ano, o investimento captado através dos vistos 'dourados' totalizou 240.763.322.74 euros, uma subida de 88,2% face a igual período de 2016, quando o montante obtido foi de 127.875.806,77 euros.

Em termos acumulados - desde que os vistos 'dourados' começaram a ser atribuídos, em 8 de Outubro de 2012, até Fevereiro último -, o investimento total captado com as ARI atingiu os 2.807.940.267,36 euros, dos quais 277.871.582,07 euros por transferência de capital e 2.530.068.685,29 euros pela compra de bens imóveis.

Desde a criação deste instrumento, que visa a captação de investimento, foram atribuídos 4.578 ARI: dois em 2012, 494 em 2013, 1.526 em 2014, 766 em 2015, 1.414 em 2016 e 376 este ano.

Em termos acumulados, desde a sua criação até fevereiro, foram concedidos 4.314 vistos pelo requisito da aquisição de bens imóveis, 257 por transferência de capital, e sete pela criação de, pelo menos, 10 postos de trabalho.

A China lidera a lista de ARI atribuídas (3.207 até fevereiro, seguida do Brasil (319), Rússia (167), África do Sul (156) e Líbano (88).

As novas regras para a obtenção de Vistos 'Gold', que alargaram os critérios de investimento para cidadãos fora da União Europeia a áreas como reabilitação urbana e ciência, entre outras, entraram em vigor em 03 de setembro de 2015.

Desde 2013 foram atribuídas 7.396 autorizações de residência a familiares reagrupados: 576 em 2013, 2.395 em 2014, 1.322 em 2015, 2.344 em 2016 e 759 em 2017.
 In: Jornal de Negócios, 08 de março de 2017

Sem comentários:

Armação de Pêra em Revista

Visite as Grutas

Visite as Grutas
Património Natural

Algarve