O défice de participação da sociedade civil portuguesa é o primeiro responsável pelo "estado da nação". A política, economia e cultura oficiais são essencialmente caracterizadas pelos estigmas de uma classe restrita e pouco representativa das reais motivações, interesses e carências da sociedade real, e assim continuarão enquanto a sociedade civil, por omissão, o permitir. Este "sítio" pretendendo estimular a participação da sociedade civil, embora restrito no tema "Armação de Pêra", tem uma abrangência e vocação nacionais, pelo que constitui, pela sua própria natureza, uma visita aos males gerais que determinaram e determinam o nosso destino comum.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Este pais, esta comunicação social, esta Junta de Freguesia! Para quando a revolta dos Fantoches?

A fila para os toldos de praia das concessões atribuídas à junta de freguesia é um espectáculo!

Chegou ao telejornal, vejam só!

O país que faz chegar esta estória ao telejornal não deve ter outras noticias de relevo para reportar. Será um pais onde nada de muito importante acontece?

Não nos parece! O assunto bem poderia ser “pegado” por outro prisma e tornar-se um escândalo que pudesse trazer alguma pedagogia administrativa. Mas é sempre a pretensa “degradação humana” o que mais vende. Miséria editorial!

A Junta de Freguesia que permite esta degradante prova de amor e resistência, evidencia uma singular incompetência para gerir minudências de sua atribuição. Diz-se que “quem pode o mais, pode o menos”. Que dizer de quem não pode o menos? Como concluir que pode o mais? Jamais! Nada que já não soubéssemos, à exaustão!

As pessoas na fila: são consumidores que procuram com sacrifício pessoal, melhorar as suas condições de consumo e bem estar. Não foi com esta gente nem com as suas praticas consumistas que a economia e sobretudo as finanças do pais chegaram onde chegaram.

Marionetes nesta administração de fantoches de “primeira” que pretende converter todos em fantoches de “segunda”. Nada de novo! Evidência de que o povo, sobretudo centrado na sua sobrevivência, tem permitido a verdadeiras alimárias a administração da coisa pública.

Até quando?

2 comentários:

Anónimo disse...

Isto tudo pq o menino que está ao lado do chale :)) fez um concurso vergonhoso e no verao depois monta mais do que deve que é pra quem nao apanha nos da junta lhe alugarem a 15 euros o dia :)).........

Anónimo disse...

Não digas asneiras, deixa trabalhar as pessoas.

Armação de Pêra em Revista

Visite as Grutas

Visite as Grutas
Património Natural

Algarve