O défice de participação da sociedade civil portuguesa é o primeiro responsável pelo "estado da nação". A política, economia e cultura oficiais são essencialmente caracterizadas pelos estigmas de uma classe restrita e pouco representativa das reais motivações, interesses e carências da sociedade real, e assim continuarão enquanto a sociedade civil, por omissão, o permitir. Este "sítio" pretendendo estimular a participação da sociedade civil, embora restrito no tema "Armação de Pêra", tem uma abrangência e vocação nacionais, pelo que constitui, pela sua própria natureza, uma visita aos males gerais que determinaram e determinam o nosso destino comum.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Péssimo cartão de visita para Armação de Pêra


Várias semanas de reclamações por sermos picados pelos mosquitos, não é que o Rogério Pinto acordou.

Os residentes e os turistas que frequentam a praia de Armação de Pera, depois de muito reclamarem junto da junta de freguesia, e na câmara municipal, lá conseguiram que o presidente da câmara,se reunisse hoje sexta-feira com autoridades de saúde e do ambiente.

O problema como todos sabemos está nas águas poluídas da ribeira de Alcantarilha, para onde são lançados esgotos.

Parece que agora vão "intensificar e alargar a zona de desinfestação para tornar mais eficazes as medidas anteriormente adotadas e em curso". Mas consta, que este ano por falta de verbas, ainda não tinha sido efetuada a desinfestação.

No comunicado enviado pela câmara aos órgãos de comunicação social refere que:

"A anormal densidade dos mosquitos não apresenta riscos para a saúde pública, dado que as espécies existentes não se encontram infetadas. Nunca foram detetadas em toda a região algarvia espécies exóticas como, por exemplo, (...) os responsáveis pela transmissão dos vírus da febre do dengue ou da infeção pelo vírus Chukungunya", referiu a Câmara Municipal de Silves.

Mais uma época balnear e Armação de Pera por incompetência do seu presidente aparece nos órgãos de comunicação social pelas piores razões (um ano foi as ratas, outro o peixe morto na ribeira, o lixo etc.)um péssimo cartão de visita para a nossa vila.

Alguns turistas pelo sim pelo não, estão a escolher outras paragens, com prejuízo para a economia.

Ao mesmo tempo, a autarquia descartou a abertura da ribeira de Alcantarilha, uma vez que não se prevê que possa ocorrer uma "renovação do corpo de água lagunar e melhoria da qualidade da água (...) dada a fraca ondulação marítima e de amplitude da maré".

"A diminuição do volume de água nas lagoas potenciaria a degradação da qualidade da água e teria implicações ao nível da ecologia do sistema que, para a situação presente, não se afigura, como uma mais-valia. Por essa razão, não haverá abertura da ribeira de Alcantarilha", explicou o município.


O baixar o nível de água na lagoa causava problemas para a "ecologia do sistema" dizia o presidente, ou será que causava graves problemas para a qualidade das águas balneares?dizemos nós.

Finalizar citando António Aleixo

Porque o povo diz verdades,
Tremem de medo os tiranos,
Pressentindo a derrocada
Da grande prisão sem grades
Onde há já milhares de anos
A razão vive enjaulada.

1 comentário:

Claudio Trindade disse...

Até onde será necessário chegar esta situação? A praga de mosquitos está a tomar proporções inimagináveis!

Armação de Pêra em Revista

Visite as Grutas

Visite as Grutas
Património Natural

Algarve