O défice de participação da sociedade civil portuguesa é o primeiro responsável pelo "estado da nação". A política, economia e cultura oficiais são essencialmente caracterizadas pelos estigmas de uma classe restrita e pouco representativa das reais motivações, interesses e carências da sociedade real, e assim continuarão enquanto a sociedade civil, por omissão, o permitir. Este "sítio" pretendendo estimular a participação da sociedade civil, embora restrito no tema "Armação de Pêra", tem uma abrangência e vocação nacionais, pelo que constitui, pela sua própria natureza, uma visita aos males gerais que determinaram e determinam o nosso destino comum.

sábado, 21 de setembro de 2013

É tempo do cidadão-eleitor interiorizar que é o cidadão-contribuinte que tem de ir às urnas no dia das eleições!


Não é fácil ser candidato! Sobretudo depois de ter sido eleito e ter prestado provas.

O resultado do trabalho realizado nos anos do exercício anterior do cargo persegue o candidato à reeleição como a sua sombra em dias soalheiros.

Pode suceder que essa gestão seja impoluta e, nesse caso, infelizmente raro, pode influenciar positivamente os cidadãos-eleitores que reelegem o candidato.

Porém, sucede amiúde que o resultado dessa mesma gestão seja merecedora de critica e, nesse caso, constitui uma canga a que o candidato não escapa.

No entanto, tal como o resultado da gestão anterior que pode ser uma ou outra coisa, o destino do candidato, num caso ou noutro, pode ser a reeleição ou a derrota eleitoral.

Que concluir então sobre a “racionalidade” dos processos eleitorais?

Que são religiosos? Isto é, que se Deus quiser ganha o candidato mais qualificado para ocupar um cargo de responsabilidade com capacidade, competência, dedicação e seriedade e, querendo Deus o contrário ganhará aquele que já demonstrou não ter capacidade, ou competência, ou dedicação, ou seriedade?

Até parece que, muitas vezes, assim é!

O que nos parece porém é que Deus terá muito mais com que se preocupar, deixando para o homem-cidadão-eleitor, a decisão sobre quem haverá de administrar a coisa pública.

Como explicar então que aquele que o senso comum consideraria indesejável, possa ser eleito?

A recente legislação sobre a limitação do número de mandatos, não dando uma resposta directa sobre o mecanismo eleitoral-partidário, reconhece os efeitos perniciosos de prolongar no poder “eternamente” aqueles que melhor sabem jogar este jogo, limitando pelo número, as vezes que o jogo pode ser jogado.

Prevenindo que, aqueles que jogam com “dados viciados” não possam enganar os eleitores ad eternum.

Ou prevenindo que os viciados no jogo preservem a saúde económica ...dos cidadãos-contribuintes.

Todos sabemos que, quem se perpetua no poder, a maior parte das vezes, consegue-o à conta do erário público (da distribuição de vantagens económicas: dos empregos públicos às obras públicas, dos aumentos de prestações pública sem sustentação para tanto).

Por esse caminho chegámos à situação de agonia em que se encontra o orçamento e a generalidade dos cidadãos contribuintes!
Isto é: a manipulação eleitoral dos resultados ocorre mediante parte das promessas cumpridas no mandato anterior (todos constatam estes factos e atribuem-lhes imediatamente causa: uma estrada esburacada finalmente tapetada de novo, mais uma rotunda, imprescindível ou voluptuária, sendo habitualmente a última construída em primeiro lugar, etc...etc...).

Só que tais melhorias, as imprescindíveis e as voluptuárias, não são pagas pelo candidato que as reivindica como se de um mecenas se tratasse.

Tais obras, realizadas a maior parte das vezes com recurso a crédito, são pagas pelos cidadãos-contribuintes, sem que tenham tido a possibilidade de decidir que prioridade dar ao dinheiro que pagou, nem àquele que lhe irão pedir no futuro!

Teoricamente é para decidir sobre o dinheiro que lhe vão exigir (a sua contribuição), os tributos que lhe são impostos - que se elegem os políticos!

Não é por isso indiferente o candidato ser competente ou incompetente, ser leal ou desleal, ser trabalhador ou pária!

As eleições em Portugal mantêm um estilo competitivo de cariz ideológico, sintetizado em partidos-clubes e portanto essencialmente emocional (sem esquecermos os “esquemas”, os “amigos” e os “golpes” que também caracterizam habitualmente qualquer “albergue espanhol”) por parte do cidadão-eleitor.

É tempo (pelo menos, porque se nos impõe a situação económica nacional) do cidadão-eleitor interiorizar que é o cidadão-contribuinte que tem de ir às urnas no dia das eleições!

E na falta de outros indicadores para decidir, porque tem andado, hoje, como secularmente, essencialmente preocupado com o seu sustento, deixando a política para os políticos (os algozes), deverá decidir pelo candidato que se apresenta para ter a responsabilidade de administrar a coisa pública, salvo honrosas e dignas exceções com evidencia pública e manifesta, que não tenha tido essa responsabilidade anteriormente!

Porque não se pode premiar quem, para se reeleger, invariavelmente, usou de meios públicos à sua disposição – dos telefonemas (no mínimo) à oportunidade da obra e sua inauguração à boca das eleições, ou à utilização do aparelho do estado para fins eleitorais (no limite) – como tem vindo a ser estória na nossa história recente!

O que é facto é que não há renovação possivel quando em 82% (oitenta e dois por cento) das Câmaras há um presidente ou vice-presidente candidato a reocupar a Presidência.

A limitação dos mandatos, quanto a nós, é inconstitucional! Mas o privilégio dos candidatos que à partida gozam de meios ilegítimos, que são pagos por todos os cidadãos-contribuintes, para além de má despesa pública que é imperioso condenar, é de uma desonestidade a toda a prova, cuja reiteração não a converte em virtude, e ameaça o futuro de todos, o que já não é pouco, mas também o próprio sistema democrático (para os que sobrarem da razia)!

23 comentários:

Anónimo disse...

é tempo do cidadão eleitor deixar de votar nos mesmos do costume, os PSD e PS!

BE disse...

é tempo do cidadão eleitor deixar de votar nos mesmos do costume,que destruíram armação os PSD CDU e PS!

Beatices disse...

Então Paulo? Já vais à missa? Olha que até o padre já mandou o turismo religioso do Serpa para as urtigas.

Isto é o chico-espertismo dos gurus da propaganda socialista a confundir os assuntos de César com os assuntos de Deus nosso senhor.

Santa paciência...

kamov desviado disse...

E continua a baixaria...

Kiko disse...

É tempo de marcar a diferença com a malta nova e independente que está na CDU! Por isso, para a Câmara e a Assembleia Municipal, é votar CDU, sem qualquer dúvida!

Castigador da Parvoíce disse...

Kiko, independente na CDU? Isso faz algum sentido rapaz? vai lá fumar uma broca e vai dormir que já é tarde.

The Punisher disse...

Claro que faz sentido... o que não faz sentido é votar nos Passos Coelhos, nos Relvas, nos Duartes Limas, nos Sócrates, nos Armandos Varas, nos Mários Soares, nos Paulos Pedrososos à escala do concelho de Silves!

Só um gajo tapadinho e parvinho é que continua a votar na merda do costume!

Lima disse...

Já repararam que o Serpa se faz rodear da pandilha do Socrátes: o gajo da UGT, o João Proença, que por ter aceite os desmandos do Passos, ganhou um tacho do Governo, o Vieira da Silva, que queimou a Segurança Social, a Inês de Medeiros, que queria ser deputada, mas a viver em Paris, e nós tinhamos que lhe pagar as viagens de avião ir e vir todos os dias!

O Dr. Serpa sabe se fazer rodear de gente nada recomendável!!! Isto mete mesmo nojo!

Diz-me com quem andas e dirte-ei quem tu és!

Anónimo disse...

Atenção pessoal que se diz Jovem, as eleições são autárquicas....
O que me parece é que o BE que nem lista para as freguesias tem tenta agarrar os descontentes é sem dúvida uma boa estratégia.
Mas em Armação a limpeza só com voto no PS!

Weissmuller disse...

Quem é que se serviu dos eventos musicais de verão em Armação para fazer campanha eleitoral e quem pagou aos musicos e produção?

Querem melhor exemplo de despesa pública para aproveitamento pessoal do candidato?

Anónimo disse...

Quanto tempo levou a ser faita a rotunda de Messinas e a fonte luminosa em Armação?
A primeira ceifou vidas, a segunda ainda hoje podia estar por fazer!
E a rotunda de Pêra, para quando?

Mais preocupante que os politicos merdosos, são os cidadãos cegos que pensam que o partido onde votam é para seguir como o benfica, o sporting ou o porto!

Não é assim cambada!

Anónimo disse...

O anónimo anterior não deve vir para aqui misturar politica com desporto.
Especialmente meter o BENFICA ao barulho.

Anónimo disse...

O Benfica é o clube do povo, não é, nem nunca será, o clube dos elitistas e corruptos do PS e do PSD!

Anónimo disse...

O povo de Armação é alto patrocinador de corruptos ao que parece votam sempre nos mesmos, ontem na festa religiosa da Vila, o apresentador mais uma vez aproveitando o calor da festa e julgando que seriam só pessoas da terra que estivessem presentes, mandou recados para o Pai e Filho que muito deram a esta terra e que merecem reeleição, isto numa festa religiosa...

Depois perguntei quem eram?
Disseram que eram os atuais protagonistas, safa será que este povo não passou o Verão aqui, retorqui. É que eleger novamente quem fez isto a esta terra só pode ser masoquismo...
A pessoa desabafou sei lá, dia 29 se verá...

FBI disse...

Olá Sónia. Tudo bem?

Kiko disse...

Queres mudança?!? Estás farto de ver o PSD e o PS a enterrar o país e o nosso concelho?!? Então vota CDU para a Câmara e Assembleia Municipal!

Anónimo disse...

Ricardo, também já chega! é que nem votas cá!

ORGULHO ARMACENENSE disse...

Um armacenense não vota num messinense para a câmara.

Raio Azul - Esquadrão Ala Sul disse...

Um brader de armação de pêra inteligente sabe que é preferível votar na Rosa Palma do que votar em alguém que se diz armacenense e que é sócio da Isabel Soares e que:

1 -lixou o comércio local de Armação de Pêra este Verão, só porque quis poupar cinco mil euritos em desinfestação de pragas preventivas de mosquitos, e porque decidiu abrir a ribeira de alcantarilha, repleta de estrume, esgotos e quimicos, para o mar, e assim interditar a praia a banhos, só porque nunca limpam os sistemas de escoamento de águas pluviais!

2 - transformou armação numa pocilga de ratazanas e baratas, de maus cheiros e cheia de lixum!

3 - prometeu em 2009 fazer o complexo desportivo de Armação de Pêra, que deveria estar prontinho em 2010, e que ainda hoje está por fazer e que nos apresentam uma coisa que não corresponde de todo ao que foi prometido, com bancadas amóviveis que parecem as da feira medieval e contentores das obras para fazerem de conta que é um balneário! Obras que deveriam ser feitas com fundos da câmara, mas como dizem que não há guitos, teve de ser a Vila Vita a compor o remendo, ficando com a nossa praia!

4 - O pior de tudo - UM ARMACENENSE QUE DÁ 300 MIL EUROS AO SILVES FUTEBOL NÃO É UM VERDADEIRO ARMACENENSE, É UM TRAIDOR!

Para mim na há votos em PSD e também não haverá em PS, vai ser Rosa Palma, que é o que vocês merecem por andarem a mentir e gozarem com a malta nova que sente e vive a sério armação de pêra, não esses tristes sem personalidade que andam atrás do Ricardo Pinto!

ORGULHO ARMACENENSE disse...

Oh Raio Azul, a Rosita mandou-te vires para aqui fazer CONTRA-INFORMAÇÃO?

Ou esqueces-te que tudo aquilo que acusas foi aprovado de uma forma ou de outra pela Rosa Palma? Esta senhora também foi vereadora...

Os 300.000 euros que falas, foi uma decisão aprovada por todos os vereadores, com a abstenção de última hora da Rosa Palma quando soube que a primeira tranche de 60.000 euros só seria adjudicada no ano seguinte. Que conveniência eleitoralista!

Corre Costas disse...

A construção da sede do Clube de Futebol "Os Armacenenses" iniciou-se graças ao impulso de um insigne messinense: o saudoso José Viseu!!! -o José Viola, pelo contrário, pelo contrário, levou-nos mais de 60m2 que entregou ao Gregório do Barranco, impedindo que a construção sede fosse paga pelo PIDAC. Foi um grande messinense, Mascarenhas Gregório, que impulsionou o turismo em Armação de Pêra, construindo o Casino Velho e os primeiros arruamentos do que é hoje a Avenida Marginal. O Rogério Pinto não é nem nunca foi de Armação de Pêra!!! vê-se logo!!! é intermediário na venda do seu património...como qualquer agiota!!!Levem-no para as suas origens!!

Anónimo disse...

Aliás eu só vejo uma lista onde está alguém que pode lutar pela nossa terra e essa é a do Serpa.

Denunciador da Hipocrisia disse...

Sobre o novo folheto do PS, intitulado:

"URGENTE: É URGENTE RECUPERAR A IMAGEM DE ARMAÇÃO DE PÊRA"

Ah grandes hipócritas! Passaram o Verão todo a chamar televisões, a implantar notícias no Correio da Manhã e a exigir a abertura da Ribeira para estragar a imagem de Armação.

E agora, feitos cordeirinhos, aparecem como santos milagreiros. Mas como os lobos aparecem sempre em pele de ovelha, até o padre já fez questão de denunciar esses falsos profetas.

Joguem-se ao mar, moces dum cabreste!

Armação de Pêra em Revista

Visite as Grutas

Visite as Grutas
Património Natural

Algarve