O défice de participação da sociedade civil portuguesa é o primeiro responsável pelo "estado da nação". A política, economia e cultura oficiais são essencialmente caracterizadas pelos estigmas de uma classe restrita e pouco representativa das reais motivações, interesses e carências da sociedade real, e assim continuarão enquanto a sociedade civil, por omissão, o permitir. Este "sítio" pretendendo estimular a participação da sociedade civil, embora restrito no tema "Armação de Pêra", tem uma abrangência e vocação nacionais, pelo que constitui, pela sua própria natureza, uma visita aos males gerais que determinaram e determinam o nosso destino comum.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Uma Senhora de Aço, com argumentos de Betão!

6 comentários:

Anónimo disse...

Secretariado do PS/Silves convence presidente de Alcantarilha a continuar na suas funções

O secretariado da Concelhia do PS de Silves reuniu-se ontem com os vereadores e os presidentes das Juntas de Freguesia de Alcantarilha e de São Marcos da Serra, para análise da situação política concelhia, em virtude de não estar aprovado até ao momento o Orçamento camarário.

Esta reunião teve na sua génese as declarações do presidente da Junta de Freguesia de Alcantarilha João Palma, que, como reconhece o PS/Silves, «ante o desespero e incerteza provocada pela ausência do Plano de Atividades e Orçamento para 2011, anunciou que iria apresentar a sua demissão», que a concretizar-se seria seguida por todos os membros eleitos nas listas do PS na freguesia.

Depois de todos os esclarecimentos e solidariedade manifestada pelo secretariado da Concelhia, e de acordo com o comunicado do PS/Silves, os presidentes de Junta de Freguesia foram exortados a «continuarem o trabalho que, ao longo de vários mandatos, têm desenvolvido em prol das populações».

Assim, «foi confirmado que o presidente da Junta de Freguesia de Alcantarilha continuará, com o empenho de sempre, a desempenhar as funções decorrentes do exercício do mandato que o eleitorado lhe concedeu».

Perante a situação que a Câmara de Silves está a viver por falta de Plano de Atividades e Orçamento para o corrente ano, decidiram os socialistas apresentar, em tempo oportuno, um «requerimento para a convocação de uma reunião extraordinária da Câmara Municipal de Silves, com o objetivo de discutir e viabilizar o Plano de Atividades e o Orçamento para 2011 da Câmara Municipal de Silves».

Assim, segundo o vereador do PS Fernando Serpa, em declarações ao barlavento.online, os socialistas querem «assegurar o normal funcionamento da autarquia e, ao mesmo tempo, evidenciarem o quanto a presidente da Câmara e o executivo permanente PSD desprezam as dificuldades sentidas pelos munícipes e desvalorizam os interesses do concelho».

O vereador do PS, ao requerer a reunião extraordinária do executivo, pretende voltar a analisar as receitas e, de acordo com as suas declarações, desta vez vai «sugerir cortes nas despesas».

Anónimo disse...

Requalificação da Frente de Mar de Armação de Pera foi nomeada para prémio Turismo de Portugal

O projeto da Frente de Mar de Armação de Pera é um dos seis nomeados, na categoria «Requalificação Projeto Público», da sexta edição dos Prémios Turismo de Portugal, anunciou a Câmara de Silves.

O projeto é «também o único de uma autarquia algarvia a concurso neste grupo, sendo os restantes candidatos oriundos dos municípios do Porto, Lisboa e Sintra».

A requalificação da Frente de Mar de Armação de Pera vai competir com os projetos de revitalização das Áreas Comerciais (Aeroporto do Porto), remodelação e ampliação do Museu de São Roque (Lisboa), Loja Museu dos Transportes e Comunicações (Porto), Núcleo Arqueológico do Castelo de São Jorge (Lisboa) e a reabertura do Palácio de Monserrate (Sintra).

Em comunicado, a Câmara salienta que «este projeto do município de Silves enquadra-se no espírito daqueles que, segundo a Deloite (empresa que coordena o concurso), se traduzem na requalificação de espaços pré-existentes e já detentores de vocação turística».

Na verdade, a requalificação da Frente de Mar de Armação de Pera (Fortaleza, ruas próximas e zona do mini golfe) corresponde a dois projetos da autoria do GAT de Faro (zona nascente) e da Empresa Prospetiva (zona Poente) e é uma obra que melhorou a vila piscatória e turística, modernizou o espaço e procurou privilegiar o conforto e o lazer.

O júri do concurso, presidido por Guilherme d’Oliveira Martins e composto por Adília Lisboa, presidente da Comissão Executiva da Confederação do Turismo Português, António Perez Metelo, jornalista, e Luís Patrão, presidente do Turismo de Portugal, definirá durante o mês de janeiro quais serão os vencedores.

Na sexta edição deste concurso foram recebidas 147 candidaturas, sendo a participação algarvia a mais reduzida, com apenas 13, a mais reduzida em relação ao resto do país.

adelina capelo disse...

Pelo comentário anterior está à vista o bom trabalho feito pela nossa presidente.
Se nesta altura ela não tivesse a maioria a requalificação da frente de mar ainda estava no papel, pois a oposição que temos só sabe dizer mal e obstucalizar quer quer trabalahar em prol do povo.

Anónimo disse...

Está à vista que , na practica não tem a minima noção das desastrosas consequências que esta obra tem na vida dos comerciantes de A. de Pêra e na de todos os residentes.
Umas obra que foi mal planeada, deixou a vila de Armação de Pêra com um problema de estacionamento, sem solução.
Esta obra tornou intransitável por carro toda a zona comercial da vila,uma área que é exageradamente extensa, o que teve consequências catastróficas no movimento do comércio local que reduziu significativamente, causando aos proprietários sérios prejuizos, que, põem em causa a continuidade de muitos.

Indiferente a esta realidade, está Adelina Capelo, que vem para este espaço fazer propaganda de uma situação, que, a ser verdadeira, "roça" o insulto a todos os que se deparam diáriamente com as dificuldades que a requalificação da frente mar, criou a todos os residentes da vila de A. de Pêra.

É muito simples conferir a eficácia desta obra, basta a qualquer um pegar no carro e visitar A. de Pêra, constatarão que não conseguem circular senão na via dorsal, o que encaminha quem nos visita a sair da vila.

Armação de Pêra foi uma terra detentora de vocação turistica, antes de Isabel Soares a pôr a leilão, hoje é uma terra com todas as potencialidades destruidas.

Por isso Adelina Capelo, CALA-TE, RESPEITA OS RESIDENTES DA VILA DE ARMAÇÃO DE PÊRA, este tipo de atitude é de uma falta de respeito que ultrapassa todos os limites do razoável.
TEM VERGONHA!!!

Anónimo disse...

Não percebo o tal concurso, afinal a avenida beira mar, tanto a nascente como a poente tem bastante falta de estacionamento, ou o estacionamento não contará numa zona turistica?

Anónimo disse...

SEM FALAR NOS PROMENORES DA OBRA E OS MATERIAIS NÃO VALEM NADA!!!
GANDA CONCURSO...

Armação de Pêra em Revista

Visite as Grutas

Visite as Grutas
Património Natural

Algarve